segunda-feira, 20 de julho de 2015

Sempre alerta

Mas, porque este conhecimento é importante para aquele que quer ter o poder da felicidade? 

Para ele estar sempre preparado. Vou tentar explicar isso.

Aquele que imagina que a infelicidade ou contrariedade é fruto de um acontecimento externo, muitas vezes vive momentos, como no caso que estamos conversando, onde está bem, não há contrariedades. Por causa desta consciência, a mente gera a ideia de que o sofrimento não acontecerá. 


Estou falando de momentos onde quer ir a algum lugar, anseia por chegar onde se sentirá bem. Por causa da ideia de que se sentirá bem lá acha que tudo ocorrerá de forma maravilhosa. Com esta consciência se desarma. Acha que o sofrimento não acontecerá naquele momento. Justamente é desta desatenção que a mente se aproveita e faz brotar o sofrimento.


Portanto, aquele que detém o poder da felicidade nas suas mãos jamais perde a atenção ao seu mundo interno. Ele não se deixa levar pela onda de bem que a mente afirma que viverá. Ele não se deixa levar pela onda de sentir-se bem que a mente cria. Sabe que está sempre, já que está submetido ao tentador, à beira de um abismo e que pode cair a qualquer momento.


Por este motivo, aquele que detém o poder da felicidade está sempre atento ao caminho que está trilhando. Sempre atento ao seu mundo emocional, ao mundo interno. Com isso evita as surpresas que a mente cria, como no caso da questão que estamos conversando agora, onde é dito por uma pessoa que ele está bem e que de repente fica mal.
Isso acontece porque ele confiou no seu estado de espírito e baixou a sua guarda. Parou de ter a atenção plena correta em si mesmo. 


É isso que esse moço e todos vocês precisam ter atenção. Não se deixem levar pela mente. Não imaginem que se agora determinado acontecimento está sendo vivido num emoção de felicidade isso continuará, que não cairá, que não sofrerá dentro do mesmo momento. Mantenham sempre suas guardas elevadas para defenderem-se assim que o sofrimento brotar dentro de vocês. 


Só mais um detalhe, quem me fez a pergunta diz que conduzido pela mente ele se deixa levar pelo estado de sofrimento. Isso não é real. Não é a mente que lhe conduz a nada, mas você que vai para aquele estado de espírito por não estar atento às criações internas. Na verdade é você quem se entrega ao que a mente gera e não ela que lhe conduz para aquilo. 


Isso acontece quando se confia na mente. O ser humano quando a personalidade humana cria uma emoção boa confia nela e por isso a segue, entrega-se a ela. Quando isso acontece, a mente, que é o tentador, pode mudar rapidamente o estado de espírito e quem não está atento à isso acaba caindo nesta arapuca. 


Portanto, a orientação, a ajuda que poderia dar a esta pessoa e o conselho que posso deixar para todos é no sentido de estarem sempre atentos, de jamais abaixarem suas guardas, porque o sofrimento, assim como a felicidade, não depende do mundo externo, mas brota dentro de cada um. Mesmo que o acontecimento externo não mude.

Pai Joaquim

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.